12 de dezembro de 2012

"Feminismo é a noção radical de que mulheres são gente"

Pode parecer algo bem óbvio para quem lê. Claro que mulheres são gente, quem discordaria disso? Por que as feministas gostam de repetir essa frase?

A Simone de Beauvoir é uma das principais teóricas feministas, e tem uma das primeiras e principais obras feministas já escritas, O Segundo Sexo. Logo na introdução do livro, entre várias outras declarações, ela diz que a mulher é o Outro. Nas palavras da própria Beauvoir:

“A mulher determina-se e diferencia-se em relação ao homem e não este em relação a ela; a fêmea é o inessencial perante o essencial. O homem é o Sujeito, o Absoluto; ela é o Outro.”

Isso pode ser comprovado de várias maneiras, desde o uso de “o homem” no lugar de “a humanidade”, até as próprias convenções sociais. Em primeiro lugar temos os homens, e somente então as mulheres. Na tradição judaico-cristã* e na islâmica, Deus criou o homem, Adão, e depois a mulher, Eva, a partir dele e em função dele. Na mitologia grega, os deuses criaram os homens, e então a primeira mulher, Pandora, como punição a eles. O conceito de que a mulher é o que vem depois, a segunda opção, ou o segundo sexo, é difundida pela sociedade, e a partir dela vem a maneira como a sociedade trata as mulheres.

Pronto, está explicada a frase tão usada. A sociedade trata o homem como o padrão. Ser homem e cissexual é o padrão, e aqueles que não são homens cis são o Outro – isso inclui mulheres cis e todas as pessoas trans*. O Feminismo nada mais é do que a afirmação de que não existe esse Outro, esse grupo secundário que só “é” em função do Sujeito. É a crença de que as mulheres são tão Sujeito quanto os homens, e a partir disso, a defesa de que elas tenham direitos e deveres iguais aos deles, de que a posição delas na sociedade seja a de igualdade.

As mulheres são gente. Nem inferiores, nem superiores, nem primárias nem secundárias. Elas simplesmente são gente, e devem ser tratadas como tal, e ter seus direitos garantidos como tal. O Feminismo é isso, ele busca essa igualdade. Qualquer definição correta do feminismo afirma isso, igualdade. Por isso o feminismo não é o oposto do machismo, por isso não implica em misandria, por isso ele não implica que as mulheres são superiores. Está em qualquer dicionário, em qualquer enciclopédia, está até mesmo na Wikipedia em Português.

Pessoas desinformadas tentam desqualificar o movimento falando sobre como feministas querem privilégios, sobre como elas odeiam os homens, sobre como querem ser superiores aos homens. Eu não conheço nenhuma feminista que concorde com isso – na verdade, discordar disso é a única coisa que eu vejo todas as feministas concordarem. Exceções existem, mas elas não definem nem falam por todo o movimento.

Mulheres são gente, ninguém discorda disso. Devem, então, ter a condição de “gente” assegurada, os direitos e os deveres. Isso é o Feminismo.  Não tem como ser mais simples.

*Existem divergências.